1845

Prefeitura Municipal de Rio do Antônio

Pular para o conteúdo

Visão Geral

Visão Geral

Bandeira Bandeira do Município
Brasão Brasão do Município
  • Aniversário: 27 de julho
  • Fundação: 27 de julho de 1962
  • Padroeiro (a):NOSSA SENHORA DO LIVRAMENTO
  • Gentílio:rioantoniense
  • Cep: 46220-000
  • População: 14815 (estimativa)
  • Prefeito (a): (PSD)
    2017 - 2020

Cultura

A exposição da nossa cultura, de costumes retratados de forma sucinta neste site. Neste município existe um povo alegre, esperançosos, numa crença forte, comunicativos com presenças salutantes, que ainda tem em suas memórias e o jeito sutil perpetuadas às tradições culturais no folclore e nos festejos ainda sempre vivas.
Começando pela fé religiosidade Cristã Católica e Evangélica. Onde comemora em 2 de fevereiro o dia da Padroeira Nossa Senhora do Livramento, 13 de junho o dia do Co-Padroeiro Santo Antônio e dia 15 de agosto comemoração em Louvor a Nossa Senhora do Carmo Padroeira do Distrito de Ibitira. As novenas oradas/rezadas e festejadas com o ápice (o ponto alto) na última novena e o dia "D" de cada Santo. Em que ás novenas bem participativa das comunidades do município nos festejos nas noite cultural, sempre com apresentações de cantorias, peças teatrais e quermesses. No mês de Junho às festas juninas sempre presentes no dia a dia dos rioantonienses, a musicalidade forte com ritmos próprios da sanfona, zabumba e triangulo, na dança o (forró), xaxado e arrasta pé, (eta dança lindíssima), as vestes tipicas de caipira, as quadrilhas formadas por diversos grupos, e as Escolas do município difundindo esta cultura no calendário escolar. Estas comemorações ficam por conta dos Santos: Antônio, João e Pedro. No dia 13 várias comemorações em louvor a Santo Antônio o Santo casamenteiro e em várias comunidades em festa. Véspera do dia 24 vasta comemoração em louvor a São João, com a queimada de fogueiras símbolo centenário do Santo, ressaltando o tradicional e animado São de Ibitira com participação ativa da população na Praça do Forró com vários dias de festa e o folclore o bumba-meu-boi. Nas noites de junho, explosões de vários tipos de fogos nos céus e no chão (foguetes, bombas, outros fogos pirotécnico e etc). No São Pedro a simbologia da fogueira das viúvas ainda com muita animação. Durante o mês junho, tudo com fartos tipos de comidas e bebidas típicas tais como: amendoins, canjicas, mingaus, bolos, assados, quentão, vinhos, tudo apreciados e degustados com muito sabor e muita fartura.
Mês de Julho pautado com o Festejo do aniversário do município, na comemoração a data da emancipação política do município em 27 de julho de 1963. Ato administrativo assinado pelo então Governador do Estado da Bahia o Sr. Conselheiro Luiz Viana Filho. 27 de julho data essa comemorada com muita festividades nos 3 três, normalmente nos dias de sexta-feira, sábado e domingo. Com apresentação de várias bandas de música, participação das pessoas nos blocos ( Pés de Cana, Sonata, Copos Sujos, Os Safadões) com seus QGs sito ao point da Praça 27 de Julho no centro da Cidade de Rio do Antônio.
A tradicional Cavalgada da Independência em Ibitira, realizada a muitos e muitos anos, com participação de grande dos amantes da montaria de toda região que acontece no mês de setembro. Com a participação sempre do Quartel do Exército e da Banda Fanfarra do Colégio Estadual de Brumado. Em outubro também a tradicional Cavalgada em Homenagem e Nossa Senhora Aparecida, organizada e realizada pelo Grupo de Montaria Rainha da Paz e apoio do Poder Público Municipal. Sendo o ponto culminante o desfile dos Cavaleiros e Cavaleiras enfileirados desfilando nas principais ruas e praças da cidade de Rio do Antônio. Saída do desfile do Bairro do Xavier e chegada na Praça 27 de Julho. Ai durante o dia os amantes da montaria, cavaleiros, amazonas e diversas pessoas (jovens de toda idade) passeiam percorrendo as ruas e praças montados nos cavalos, dando aquele clima de euforia entre o homem e o cavalo. A noite o encerramento com a banda musical tocando na praça pra alegria de todos.
A chegada da tão considerada e esperada as “ festas de final de ano” com aquele clima contagiante, nas presenças da chegadas dos filhos da terrinha sagrada, que vêem rever a família e amigos, também a presenças dos visitantes tornando-se realmente os momentos de muito alegria. Ai acontece o espirito natalino, as iluminações das ruas e praças com seus "piscas piscas". O som e a dança nas apresentações dos Ternos de Reis, Ternos das Ciganinhas, transcendendo de geração pra geração palpada de tanta tradição cultural e folclórica. Com suas cantorias com seus versos poéticos e profanos em louvor ao nascimento do Deus Menino o Rei Messias Nosso Bondoso Jesus Cristo. Mais uma demonstração viva da fé Cristã Católica. Muitas famílias em suas residências montam os seus presépios culminado na manjedoura local do nascimento do Filho de José e Maria. Retrato na fé religiosa, na cultura de um povo sábio.

Geografia

Densidade demográfica [2010] 18,19 hab/km²
Área da unidade territorial [2018] 777,903 km²
Esgotamento sanitário adequado [2010] 16,4 %
Arborização de vias públicas [2010] 82,9 %
Urbanização de vias públicas [2010] 0,1 %
Bioma [2019] Caatinga

População

População estimada [2019] 15.371 pessoas
População no último censo [2010] 14.815 pessoas

Clima

Um clima árido, seco e quente, principalmente no período das estiagem das chuvas em um longo período do ano entre abril a novembro.

História

Rio do Antônio surgiu-se no ano de 1874, sua origem foi as terras devolutas apropriadas pelo Sr. Bernardo José Dias ele tinha cinco filhos homens. E durante a guerra do Paraguai, se escondeu com a sua família nesta terra local de caatinga fechada com muitos umbuzeiros própria da região onde é hoje localizada a Igreja Nossa Senhora do Livramento, localizada na Praça do próprio nome Bernardo José Dias. Devido à guerra do Paraguai (1850), o governo mandava todos os rapazes de 18 a 31 anos para a guerra. O Sr. Bernardo se escondeu com a esposa e seus filhos até que a guerra cessasse. Este local escolhido para o esconderijo por ser perto do rio e a caatinga muito fechada. Entretanto, no período da guerra ele fez uma promessa, se eles ficassem livres, construiria uma capela hoje Igreja Nossa Senhora do Livramento. A Guerra do Paraguai cessou e então nada lhes aconteceram e ele cumpriu com a promessa.
Perto do Rio morava também um vizinho morador o Sr. Antonio Cunha, seus filhos foram casando com os filhos do Sr. Bernardo, construindo famílias que iam construindo as casas em volta da Capela, hoje a cidade Sede do município do Antônio. O Sr. Antonio Cunha com os demais familiares continuou morando perto do rio daí o nome de Rio do Antonio, por muitos anos nesta ocasião pertencia ao município de Caculé, então a Vila Rio do Antonio só obteve sua emancipação política em 27 de julho de 1962. O município pertence a 15ª região administrativa em Caetité. Atualmente possui vários arraiais e dois Distritos: Ibitira e Umbaúba.

Turismo

No longo do rio do antônio, na Fazenda Mocó, existem locais naturais no leito do rio para as pessoas aproveitarem um bom banho no período do ano com suas correntezas na parte rasa do rio do antônio, com dunas de areais, as ciliares mata da caatinga às margens.
Na parte mais abaixo do rio do antônio uma pequena represa de madeira no leito do rio na Comunidade da Lagoa da Horta na Fazenda de Chiquinho de Benevides.
Já na sede do município no beco de Maria Amélia uma pequena cachoeira com mais uma barragem de madeira na Fazenda Quilândia para o período calor intenso toda a população dá um mergulho nas águas cristalinas do rio. No bairro do Xavier ainda no leito do rio um ponto boêmio nos banhos de paqueras, piknik e farras nos anos 70 e 80. E até hoje os intensos lajedos atraía as pessoas e a todos dos municípios circunvizinhos.

Letra do Hino

HINO A RIO DO ANTÔNIO
Letra e música: Carlos Guedes

1. Na angústia de perdas inúteis,
Em que homens se matam em prol
De ideais de alguns poderosos,
Tu nasceste sob o signo do sol
REFRÃO: Rio do Antônio, o trem da História
É tua meta poder alcançar.
Enquanto isso, zela por teupovo !
Essa gente tão pura, sem par
2. Tu cresceste brincando ciranda
Ao luar que clareia o sertão
Hoje mãe generosa e obreira
Tensda infância a pureza, o coração
(REFRÃO)
3. Tua água, que corre serena,
Serpenteia teu solo fecundo,
Mata a sede, enverdece, dá vida,
Faz dainfânciaum sonhar belo, profundo.
(REFRÃO)
4. Os teus filhos de ti têmsaudade,
Noutras terras que foram viver,
Mas de titêm o afeto, a ternura.
Teu regaço é um eterno acolher.
(REFRÃO)


DIOCESE DE CAETITÉ
Paróquia Nossa Senhora do Livramento
Rio do Antonio


HINO Á NOSSA SENHORA DO LIVRAMENTO
Letra e Música – Marieuze Amélia Santos(Yê)

Ó Mãe resplandecente aurora
O teu clarão nos assegura o caminhar
Nos teus cristãos ensinamentos
Disse: fazei tudo que ELE mandar
E no teu angelical semblante
A fortaleza da mulher no labutar
Aqui estamos a teus pés bela Rainha
Humilde Serva do Senhor, Senhora Minha

Refrão

Estrela Mãe que lá do céu
Mães estrelinhas faz luzir
Aqui na terra, em constelação
Queremos juntas,sempre o teu filho seguir
Bendita, sois, entre as mulheres
Bendito é o fruto do teu ventre Jesus
Por todos nós misericórdia a conquistar
A ti saudamos bendizemos, Mãe da Luz
Que a luz da fé do nosso povo
Louve a grandeza desta primeira cristã
Que disse SIM, aqui estou
Mãe divina, medianeira, nossa irmã
Raio de luz que a germinar
A flor-família donde o fruto surgiu:
Comunidade que gerada pela fé,
Fez Rio do Antonio, em verdes matas, céu de anil.

Foi sob a fronde de um Umbuzeiro
Que mais imploram a Salvar os filhos seus
Intercedes ao Teu Filho amado
Roga por nós e em couro a oração cresceu.
A nossa Igreja aqui te louva
Es nossa história, Mãe do nosso Encantamento
Neste cantinho do sertão és a memória
A Padroeira – SENHORA DO LIVRAMENTO.

Estrela Mãe...

Áudio do Hino